Fiz um post no inicio do blog pra levantar questão relacionadas ao status e ética aplicadas ao mundo digital e a Web 2.0. Essa parece ser uma discussão cada vez mais requisitada pelos profissionais que se jogam no mundo digital.

Falo isso pois, acabei de participar do evento Social Media Brasil, e tive contato com profissionais e palestras que se dedicavam a levantar essas questões e debater com os participantes. Mas o que ficou claro, é que como esse universo 2.0 está apenas engatinhando, pouco se teorizou e publicou sobre esses assuntos mais teóricos.

Foi discutido pontualmente essa questão em uma palestra com o professor de comunicação da FAAP-SP, Eric Messa e Pedro Porto, Diretor de Interatividade da agência Santa Clara, de SP.

E, aqui, eu faço da visão do Eric, que já foi meu professor, a minha: Vamos adaptar, vamos nos voltar a sociologia, antropologia. Afinal, como diz Brian Solis, Redes Sociais tem mais a ver com ciências sociais do que tecnologia.

Eu acredito muito nessa dinâmica, até porque para planners e afins da área da propaganda, essas disciplinas já são necessárias  naturalmente. E, na era das relações sociais, precisamos mais ainda ter embasamento teórico para nos posicionarmos de maneira correta nesse universo, ou servir uma visão crítica e engajada para seus clientes e anunciantes que desejam se posicionar ou se inserir de maneira sólida no mundo da Web 2.0.

Sobre o assunto:

http://www.wired.com/magazine/2010/06/st_essay_tweet/

Abraço

@jleandroxavier